Produção de vinho: França perde lugar contra Itália

Os vinhos franceses não são mais o número um do mundo, porque a Itália lhes roubou o show. Que resposta a França está preparando?

De acordo com as estatísticas mais recentes, a produção mundial de vinho registrou um crescimento de 2% em 2015. Itália fica em primeiro lugar longe da França e ainda ocupa o primeiro lugar à frente da Espanha, de acordo com um anúncio da Organização Internacional do Vinho. Com efeito, a entidade vai mais longe ao afirmar que a produção mundial deste ano, é bastante satisfatória. Embora alguns países ainda não tenham divulgado seus números, a variação está entre 270,7 e 280,7 Mhl.

Como está o mercado internacional de vinhos? Qual é o seu futuro? Nós já tínhamos a oportunidade de falar sobre o ano de 2015 mas além ...?

Perdemos nosso lugar ou progredimos

No que diz respeito à produção de vinho, é preciso reconhecer que existe uma forte concorrência entre os diferentes países. A classificação nunca é estática e muitos produtores perdem regularmente seu lugar em favor de outros. Este é particularmente o caso da França há muito considerada líder na área, que ainda foi roubada dos holofotes pela Itália. Registrou 48,9 Mhl, um aumento de 10%, contra 47,4 milhões da França e 36,6 milhões da Espanha.

Um pouco atrás, os Estados Unidos se contentaram com a quarta colocação com 22,1 Mhl, enquanto a Argentina registrou uma queda de 12% para apenas 13,3 milhões. Enquanto alguns perdem e trocam de lugar, o Chile está se saindo bem este ano, com um recorde impressionante de 12,8 Mhl, um aumento de 23%. As coisas estão acontecendo com a mesma rapidez no hemisfério sul, onde Austrália e África do Sul estão conseguindo estabilizar seus números. Estes são respectivamente 12 e 11,3 Mhl, contra uma diminuição de 27% para a Nova Zelândia.

Vida em rosa

Segundo os especialistas, esses diversos números comprovam que o mercado está equilibrado. Na verdade, as previsões parecem boas na Europa, para um bom número de países. Aqui está uma rápida olhada nos números:

  • Portugal ( 8%)
  • Romênia ( 9%)
  • Hungria ( 12%)
  • Áustria ( 18%)
  • Alemanha (-4%)
  • Grécia (-9%)

Diante de todos esses números, a produção é suficiente para cobrir as necessidades de consumo, bem como as relacionadas ao emprego industrial. Isso inclui a fabricação de certos produtos, como vinagre, conhaque e muitos outros. Resumindo, ele pode ficar tranquilo, pois o vinho ainda vai fluir por muito tempo. Embora as classificações estejam em constante movimento e alguns países estejam perdendo o primeiro lugar, os números são bastante promissores.

Em conclusão, deve ser lembrado que a economia mundial do vinho está indo muito bem. Os números são muito sugestivos de seu estado, o que sugere um bom crescimento nos próximos anos. Todos esses dados ilustram claramente um mercado internacional de vinhos em movimento e com muitas esperanças. Com efeito, o volume das exportações está a aumentar, o que cria uma grande estabilidade em termos de consumo. Embora a França tenha perdido o primeiro lugar para a Itália, no geral tudo está indo bem.

Mais de Revista Perspectivas